(A igreja primitiva)


Como contribuir

DIZIMO DA FORMA LEVITICA FOI ABOLIDO?

Sim, o dizimo na antiga aliança, passou de voluntario para obrigatório e depois teve fim na morte do Senhor Jesus. "Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz," (Ef 2:15) "Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz." (Cl 2:14).

Veja estudo abaixo.

A igreja de Deus entende e ensina que: É evidente para obra de Deus a contribuição, pois, ela necessita da arrecadação financeira para continuar a sua missão, principalmente nos dias atuais, onde quase tudo se movem em torno de moeda corrente.

 

Sem contribuição dos membros da Igreja, dificilmente a igreja poderá ter: Terreno próprio, construir templos, impossível sem ele ter folhetos, lições, pagar energia, água, telefone, manutenção de limpeza, comprar instrumentos musicais e em algumas localidades ajudar os obreiros e etc.

 

Mais mesmo sabendo destas necessidades, é Importante para nós não se esquecer de nossos princípios bíblicos, de não enganar ninguém, não mentir uns aos outros, usando de passagens da Bíblia que já foram abolidas por Jesus, extorquir é transgressão da lei. (II Tm 3:13; Sl 101:7) Outro problema é fazer de desentendido para tirar proveito de uma situação, principalmente quando envolve o dinheiro. Lembrem-se: Acrescentar as escrituras poderá ser um pecado mortal. (Ap 22:18,19)

 

 No velho testamento, antes da lei usada no sacerdócio Levítico, já existia a contribuição; citaremos dois exemplos importantes para compreendermos este estudo; O do patriarca Abraão e o de seu neto Jacó.

 

 Veja o relato de Abraão, quando entregou sua oferta em forma de quantidade fixa dizimo, ao sacerdote do Deus altíssimo, Melquisedeque, aquele que era à sombra de Jesus Cristo, obs. Veja que foi oferecida de uma forma voluntária, grato por Deus, por tudo que o Senhor tinha feito por ele. (Gn 14:18-20)

 

 O outro relato foi o de Jacó (neto de Abraão), o qual fez um voto ao Senhor dizendo: que de tudo que possuísse e se fosse abençoado em sua jornada, lhe daria com certeza o dizimo de tudo. (Gn 28:27, 28)

Esta passagem afirma também a ausência de ordenança fixa, possivelmente usou o exemplo de seu antepassado, pois, para contribuir com 10%, fez um voto, essa atitude mostra que não era mandamento e sim foi por espontaneidade, voluntariamente por fé, pois, não era ensinado como mandamento contribuir de tal forma.

Importante: Não vemos até ser dada a lei levítica nem um relato que sirva de ensinamento quanto a ofertar com essa proporção.

Tanto patriarca Abraão como seu neto Jacó, não foi preciso ordenar, fizeram espontaneamente. (Gn 14:16; 28:22) Jacó até fez um voto, isso também indica que não era seu costume e muito menos uma observância de mandamento de dizimo.

 

APÓS A SAIDA DO EGÍTO DEUS ORGANIZA O POVO

 DIZIMO SOMENTE PARA OS ISRAELITAS E ENTRA EM VIGOR O SACERDÓCIO LEVÍTICO

 

Ao entrar em vigor o sacerdócio Levítico, ouve regulamentação quanto à forma de ofertar, pois passou a ser necessária a contribuição, por quê? A responsabilidade de fazer os trabalhos sacerdotais foi incumbida à tribo de Levi. (Nm 18) A Forma de ofertar com a décima parte que era voluntária e por voto como vimos anteriormente o caso de Abrão e Jacó.

 

Passou a ser obrigatória para a nação de Israel, por necessidade da época, dentro daquela lei que era provisória. (Nm 18:8-28)

Veja então que foi a partir da instituição das leis de ordenança já dentro do sacerdócio Levítico que o mandamento de contribuir obrigatoriamente com quantia de dizimo foi regulamentado “E eis que aos filhos de Levi tenho dado todos os dízimos em Israel por herança, pelo ministério que executam o ministério da tenda da congregação. E nunca mais os filhos de Israel se chegarão à tenda da congregação, para que não levem sobre si o pecado e morram. Mas os levitas executarão o ministério da tenda da congregação, e eles levarão sobre si a sua iniquidade; pelas vossas gerações estatuto perpétuo será; e no meio dos filhos de Israel nenhuma herança terão”, (Nm 18:21-23). Observe que as 11 tribos contribuíam para uma só tribo, somente para a tribo de Levi, conforme relata, e era para suprir as necessidades dela e assim os levitas teriam a possibilidade de trabalharem somente aos serviços do Senhor.

 

 No livro Malaquias, temos também mais uma prova Bíblica, de que o dizimo obrigatório era exclusivamente para a nação de Israel, e não a todas as nações.(Ml 3:8) Assim como a páscoa era somente para os Israelitas e não para as demais nações.

Veja: Páscoa = passagem. Instituída por Deus, que marcava a libertação e saída do povo de Israel da terra do Egito; eles comemoravam no dia 14 Nisã do 1º mês do calendário Bíblico, e era somente para os Israelitas.

Nesse dia era sacrificado um cordeiro assado, pães ázimos, e ervas amargosa. (Ex 12:1-6,37-51; Lv 23:4-8) Vindo JESUS, o cordeiro de Deus que tirou o pecado do mundo, que foi sacrificado no dia da páscoa 14 Nisã, com morte no madeiro. (Jo 9:17, 19, 25) O qual morreu por todos nós, sendo o ultimo cordeiro pascoal. (Jo 1:29; I Co 5:7) Assim a páscoa foi abolida, e instituiu a santa ceia. (Mt 26:26-30; Lc 22:14-20; I Co 11:23-33) Já pensou se os que aplicam a lei do dizimo da forma Levítica resolvessem aplicar também a páscoa?

 

O SACERDÓCIO LEVITICO FOI PROVISÓRIO, PORTANTO A LEI CERIMONIAL TAMBÉM, POIS SERVIU APENAS DE AIO E O DIZIMO DEIXOU DE SER OBRIGATÓRIO.

 

 A bíblia confirma que o sacerdócio Levítico foi provisório, e que as leis cerimônias (ordenanças) faziam parte dele, pois serviram apenas de aio. “De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio”. (Gl 3:24, 25)

IMPORTANTE: As leis Levíticas foram encerradas na cruz, teve fim exatamente na morte de Jesus. (Ef 2:15; Cl 2:14) Sendo encerrada, ou seja, abolida.

 O escritor aos Hebreus, afirma que houve mudança de sacerdócio, o Levítico para o sacerdócio de Jesus, após aquela lei cravada no madeiro, voltou à forma do principio, como o sacerdócio de Melquisedeque(Hb 7:3-12) Observem que o versículo diz que se mudando o sacerdócio haveria também mudança da lei.

 “... Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei”. (Hb 7:11, 12) "ORA, a suma do que temos dito é que temos um sumo sacerdote tal, que está assentado nos céus à destra do trono da majestade," (Hb 8: 1).

Portanto concluímos que dizimo obrigatório estava dentro das leis de ordenanças as quais foram abolidas, não podemos mais aplicá-las, hoje vivemos no novo sacerdócio, em um novo pacto, a nova aliança.

Uma só pergunta: Onde está escrito na bíblia á partir da morte e ressurreição de Jesus as ordenanças ou exemplos de pagar dizimo?

 

A BÍBLIA AFIRMA: É PECADO IR ALÉM DO QUE ESTÁ ESCRITO

"E eu, irmãos, apliquei estas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro." (I Co 4: 6).

Não, não podemos ensinar leis que já foram abolidas, isso seria enganar e acrescentar as Escrituras, isso é um terrível pecado. “Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar serão chamados grandes no reino dos céus”. (Mt 5:19)

"Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro;" (Ap 22: 18).

 "O que usa de engano não ficará dentro da minha casa; o que fala mentiras não estará firme perante os meus olhos".  (Sl 101: 7)

 

Só podemos aceitar dizimo de uma forma voluntária, por amor a obra de Deus (gratidão), e por voto, com entendimento de que dizimo também é uma oferta, o ofertante não está obrigado ou limitado a dar somente 10%, podem dar mais ou menos.

Aqueles que ensinam uma lei que já foi abolida por Jesus, teriam também que ensinar todas as outras, caso o contraria seriam maldito"Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las." "Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro;" (Gl 3: 10; 13).

 

ENTEDENDO VERSÍCULOS E CONTEXTOS

"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas." (Mt 23: 23) Ao lermos (Mateus 23:23 e Lc 11:42) Que diz Jesus: De que adianta dizimar a hortelã o endro e o cominho e omitir o mais importante da lei A JUSTIÇA A MISSERICÓRDOA E FÉ; isso Jesus colocou acima de tudo, não dizimo, até porque sabia que era uma imposição da lei cerimonial (levítica), que no novo pacto seria abolida.

 

Outro versículo muito usado é: "Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo." (Lc 18: 12) Mais uma pergunta fazemos? Qual oração que foi ouvida a do fariseu soberbo dizimista ou do arrependido publicano? A do arrependido publicano.

 

”PORQUE este Melquisedeque, que era rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou; A quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz; Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre. Considerai, pois, quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos. E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão. Mas aquele, cuja genealogia não é contada entre eles, tomou dízimos de Abraão, e abençoou o que tinha as promessas. Ora, sem contradição alguma, o menor é abençoado pelo maior. E aqui certamente tomam dízimos homens que morrem; ali, porém, aquele de quem se testifica que vive. E, por assim dizer, por meio de Abraão, até Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos. Porque ainda ele estava nos lombos de seu pai quando Melquisedeque lhe saiu ao encontro. De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão. Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei”.  (Hb 7:1-12)

Analisando o contexto vemos que fala referindo-se,  ao livro Genesis,  sobre patriarca Abraão. (Gn 14:18-20) Que o versículo 12 fala da mudança da lei.

 

Malaquias três (3) sobre a situação de Israel da época veja:

“Desde os dias de vossos pais vos desviastes dos meus estatutos, e não os guardastes; tornai-vos para mim, e eu me tornarei para vós, diz o SENHOR dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar? Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação. (Falando para Israel toda esta nação) no singular. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes. E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; e a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos. E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o SENHOR dos Exércitos”. (Ml 3:7-12)

O contexto diz: Que todas as nações chamariam Israel que estava vivendo na lei cerimonial de bem aventurado. Veja estudo sobre Malaquias capitulo Três.

 No sacerdócio Levítico os levitas recebiam ofertas, já dentro da nova aliança os levitas ofertam. “Então José, cognominado pelos apóstolos, Barnabé (que, traduzido, é Filho da consolação), levita, natural de Chipre. Possuindo uma herdade, vendeu-a, e trouxe o preço, e o depositou aos pés dos apóstolos”. (At 4:36, 37) Isso nos deixa bem claro a luz da palavra de Deus que foi realmente mudado o sistema de contribuição.

 

EXISTEM grupos religiosos em uma forma desesperadora citam até livro extra bíblico, para pregar o dizimo, ou seja, para arrancar o dinheiro do povo.

 

POSIÇÃO DA IGREJA DE DEUS QUANTO AO DIZIMO NA NOVA ALIANÇA.

Na nova aliança não adotamos como mandamento incondicional, todavia se alguém voluntariamente sentir o desejo de ofertar com a quantia de 10% a igreja recebe, pois não é pecado ofertar na forma de dizimo, desde que não seja de uma forma limitada, obrigatória.

Recebemos dizimo não por obrigatoriedade e sim como oferta voluntária

“Porque, se há prontidão de vontade, será aceita segundo o que qualquer tem, e não segundo o que não tem”. (II Co 8:12) “Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria." (II Co 9: 7).

 



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!